Festival de poesia Grito De Mulher 2011 termina com sucesso

I Festival de poesia Grito De Mulher 2011 termina com sucesso

Um mural impressionante, que serviu como pano de fundo para o lugar onde, em Barranquilla, na Colômbia, uma das muitas cidades latino-americanas, foi comemorado o Festival Internacional Grito de Mulher, organizada a partir da República Dominicana pelo escritor e Jael Uribe  tinha uma colaboração de 40 embaixadores MPI.

Com grande sucesso e realmente de extraordinária importância, concluiu o primeiro Festival Internacional de Poesia "Grito da Mulher" organizado pelo Movimento Mulheres Poetas International (MPI), com sede em Santo Domingo, República Dominicana. Este festival foi concebido e coordenado com maestria pelo escritor Dominicana Jael Uribe, com um rugido que foi ouvida da Suécia para a Patagônia. "Grito da Mulher" começou fortemente na 05 de março de música Cájar Granada-Espanha, poesia, palestras, performances, apresentações, em homenagem às mulheres e contra a violência, culminando com um total de 44 os actos oficiais realizados em 17 países e diversas comunidades e estados.Em um tributo, e poderíamos dizer um "ataque" contra a violência, quase 40 membros da MPI globais se transformaram em embaixadores da boa vontade do movimento, cuja responsabilidade era puxar as cordas invisíveis de esta iniciativa maravilhosa. Seus esforços e os esforços têm sido recompensados ​​com o sucesso global da atividade, que tem impactado não só incrivelmente na Internet, onde tem a sua base, mas na imprensa internacional e os corações dos poetas e assistentes todos os países participantes e além fronteiras.


Eles, juntamente com os seus países: Miriam R. Krüger (Luxemburgo), Ivonne Sanchez Barea (Espanha-Cájar-Granada), Carmen Sanjuán (Espanha-Barcelona), Pedro Vera (Espanha-Murcia), Monica Gameros (Cidade do México), Issa Longueira Martinez (Cidade do México), Anna Tessier Lasso (Uruguai), Laura Medina Murillo (Colômbia-Bucaramanga), Alfredo Gonzales Enriquez Barrios (Colômbia-Barranquilla), Ainy Pinilla de la Rosa (Colômbia-Barranquilla), Eliana Pineda Florez (Colômbia-Bogotá), Mary Isbelia Alcalá (Venezuela), Luz Karina Bocanegra (Peru-Trujillo), Xiomara Rodriguez Avila (Cuba-Las Tunas), Monica Tapia Espinoza (Chile-Valparaiso), Alcira Ross (Argentina-Chacabuco), Mariana Alejandra Vacs e Mendez (Argentina-Rosario), Graciela Mirolo ( Unquillo-Córdoba-Argentina), Mabel Pereyra (River-Black-Patagônia-Argentina), Paulina Valdivieso Jaramillo Soledad (Equador), Zulma Quiñones (Porto Rico), Rosse Marie Caballero (Bolívia-Cochabamba), Jorge Encinas Cladera (Bolívia-Oruro ), Cynthia Rodriguez Leija (Nuevo Laredo, Tamaulipas, México), Celeste Alba Iris (Ciudad Victoria, Tamaulipas, México), Erika disse Izaguirre (McAllen, Texas), Alicia Meza (México-Chihuahua), Dayra Olmedo Miranda (Panamá) Motoya Jeannette (Suécia), Mery Larrinua (EUA-Miami), Maria Farazdel (Palitachi) (EUA-NY), e Jael Uribe (Santo Domingo, República Dominicana), merecem ter seus nomes passaram para a posteridade, para têm sido os precursores, com o mínimo de recursos, um acontecimento importante que gradualmente foram adicionados autoridades, ministérios, autarquias, fundações e instituições de apoio à mulher e bem-estar da comunidade em diferentes lugares e que muito grato pela sua ajuda oportuna.


O grito das Mulheres Poetas International (MPI),
Jael Uribe e os cerca de 40 embaixadores de boa vontade participantes ressoam no vento e inundações de poesia no coração de homens e mulheres assistir e participar em eventos diferentes, permanecem na consciência de quem tentou silenciar a sua força, mas acima de tudo, é um outro link que contribui para a grande cadeia de almas que choram a suspensão da violência contra as nossas mães, as mulheres criativas.
Share on Google Plus

0 comentários: