Slider[Style1]

Grito de Mulher 2017 Portugal

Programa - 7º Festival Internacional de Arte e Poesia "Grito de Mulher"Portugal




7º Festival Internacional de Arte e Poesia “Grito de Mulher”

Movimento de Mulheres Poetas Internacional (MPI)

25 de Março 2017


ATELIER ABERTO

Rua São João da Mata nº50 - Lisboa (Santos) 

Este ano, 2017, vários países estarão unidos em eventos realizados durante o mês Março, no âmbito do 7º Festival Internacional de Arte e Poesia Grito de Mulher, convocados a partir da República Dominicana pelo Movimento Mulheres Poetas International (MPI), atividade cultural que inclui uma longa cadeia de atividades poéticas e artísticas com a participação de homens e mulheres de diferentes gerações. O evento será em comemoração do importante papel da mulher na sociedade e uma plataforma para as poetas talentosas que colaboram dentro e fora do movimento, usando a arte e a poesia com um propósito social em favor da não-violência contra as mulheres.


“Grito de Mulher” tornou-se um festival internacionalmente reconhecido por diferentes instituições em todo o mundo. Em 2014, contaremos com novos parceiros em vários países que se juntaram à nossa causa, entre eles: República Dominicana, Porto Rico, Haiti, EUA, Canadá, Argentina, Espanha, México, Colômbia, Venezuela, Peru, Costa Rica, Equador, Nicarágua, Honduras, Panamá, Guatemala, Bolívia, Chile, Portugal, Francia, Alemania, Bosnia, Rusia, Grécia, Itália, Austrália, Tanzânia , Israel, Zimbábue, Nigéria, Gana, Angola, entre outros.
 


Em Portugal, o festival será promovido pelo Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora.




PROGRAMA

11h00 - Recepção dos Convidados

11h15 - Discurso de boas-vindas por Delmar Maia Gonçalves



11h30 - APRESENTAÇÃO DA REVISTA

De Corpo Inteiro 2017

por Delmar Maia Gonçalves


11h45 - LEITURAS DE POESIA

Duo Boci

Sibila Aguiar

Lourdes Peliz

Ester de Sousa e Sá

Maria João Lopes Gaspar de Oliveira

Conceição Oliveira

Dulcineia

Filipa Vera Jardim

Elsa de Noronha



12h30 – Homenagens


13h00 - Almoço livre

14H30 – Debate sobre a condição da mulher na actualidade

Moderador – Delmar Maia Gonçalves


Manuel Dias DuarteMulheres, Autoridade e Poder

Antonieta Rosa Gomes - A condição da mulher na Guiné-Bissau

Isabel Lourenço - Mulheres Saharauis

Vera Novo Fornelos - Conselhos Islâmicos Sharia no Reino Unido – subversão de direitos, discriminação e violência



15H00 - LEITURAS DE POESIA

César da Silva

Manuela D'Abreu

Liliana Lima

Joana Rita

Najwa Omar

Tereza Xavier Coito

Maria Oliveira

Conceição Rocha

Jorge Viegas




16H30 - MOMENTO MUSICAL

Dança Oriental com Susana Amira



17h00 – DEBATE SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E APRESENTAÇÃO DO LIVRO

Mulher Transparente

de Ana Cristina Silva




18h00 - APRESENTAÇÃO DE LIVRO

Antologia Universal Lusófona - Rio dos Bons Sinais 2017






AUTORES:

Ascêncio de Freitas; Clayton Silva; Delmar Maia Gonçalves; Jorge Viegas; Lourdes Peliz; Sibila Aguiar; Sónia Sultuane;

Tereza Xavier Coito; Alfredo de Sousa Pereira; Ana P. Madureira; Conceição Oliveira; Conceição Rocha; Cristina Fernandes; Ester de Sousa e Sá; Fátima Soares; Felismina Mealha; Filipa Vera Jardim; Joana Rita; João de Deus Rodrigues;

Leonor Sobral; Liliana Lima; Maria João Lopes Gaspar de Oliveira; Vera Novo Fornelos; Zélia Torres; Ademar Inácio da Silva; Carmen Lucia Hussein;

Eloah Westphalen Naschenweng; Maria Luiza Vargas Ramos; Marta Cosmo;

Melchiades Montenegro; Rosangela Calza; Conceição Alves; Sandra Poulson;

Antonieta Rosa Gomes; Duo Boci.
 





Chamada para Festival Grito de Mulher 2017




O Festival Internacional de Poesia e Arte Grito de Mulher em seu sétimo ano, vai adoptar o lema "Um grito pela liberdade" para todas as meninas do mundo. Procurando através das artes e da poesia, reforçar a confiança, segurança e valores de meninas ao redor do mundo, que merecem viver livre de abuso, maus-tratos, e longe dos problemas adultos como gravidez precoce, trabalho forçado, ect,.

Este ano, o Movimento Mulheres Poetas Internacional (MPI) Inc. com sede na República Dominicana, reiterou o apelo aos campos da arte e da cultura e interessados a fazer parte os coordenadores do evento de Grito de Mulher 2017, organizado durante todo o mês de março com uma cadeia em todo o mundo.

Para participar, os eventos devem respeitar o mensagem que o grito representa et devem aderir às diretrizes de GDM escritas.

Desde 2011, o festival Grito de Mulher (Grito de Mujer) servido pará sensibilizar as pessoas ao gravidade do flagelo da violência, através de várias campanhas e eventos relacionados. Foram realizados cerca de 700 eventos em 60 países pelos coordenadores voluntários.

Os interessados
​​em fazer parte dos eventos na cadeia mundial de 2017, pode aplicar preenchendo seus dados de contato da página www.gritodemujer.com

Grito de Mulher recompensa contribuintes destacados




A Fundação Mulheres Poetas International (MPI) Inc. e marca Grito de Mujer® (Grito de Mulher), realizada nos salões RafaelHoteles Ventas 4, localizado na Calle de Acalá na cidade de Madri, Espanha, um jantar de gala onde realizou parte 1º Encontro Internacional de Movimento MPI de poetas, amigos e simpatizantes da causa Grito de Mulher. A noite começou com um magnífico jantar para cerca de 120 pessoas, continuando com um recital de poetas internacionais e intervenção de cerca de 40 poetas, e colaboradores da causa Grito de Mujer.

 
O escritora dominicana, Presidente do MPI, Jael Uribe, liderou um discurso emocionado com as palavras dedicadas especificamente a cada um dos seus colaborares presentes. No final da noite teve lugar a cerimônia de premiação em lágrimas e emoções e parceiro de contribuintes destacados e coordenadores do Festival Grito de Mulher, que foram surpreendidos por Uribe, não só entregando bonitas certificados com a figura da "mulher alada", identificando o símbolo da marca Grito de Mujer®, mas também com o prêmio em si, como uma forma de gratidão por seu trabalho e lealdade.



Entre contribuintes que recebeu a estatueta mulher alada mãos de Uribe foram: Antonia Cerrato, Idoia Carramiñana, Adirane Azcuenaga, Maria Pizarro, Encarnación Sánchez Arenas, Bouchrail Echchaoui (Marrocos), Berkis Contreras (EUA), Ivonne Sánchez Barea, María Sanchez, Helena Staghouraki (Grécia), Pedro Vera, que não estava presente, mas que Uribe passou algumas belas palavras por ter sido um dos primeiros homens entusiasmados em formar parte, finalmente, para o coordenadora dos eventos em Madrid, a poeta Assunção Caballero.


Receberam certificados de apreciação Zulma Quiñones (Puerto Rico), Teresita Calderon (Suíça). Eles também foram reconhecidos os esforços do poeta Carmen Rey Hernandez, Inma Diez, Edith Fernandez e Sergio Perez para o seu incondicional participação à causa.



Em seu discurso, Uribe destacou que para chegar longe o suficiente para não só ser criativo, ser original, ser altruísta, mas também teve que ser leal e grato.



O MPI é grato a todos os seus colaboradores em todo o mundo por seu apoio para a causa.

30 países colaborar na Sexto Festival Grito de Mulher 2016


O Movimento Mulheres Poetas International (MPI) Inc. Convida atos a sexto Festival Internacional de Poesia e Arte Grito de Mulher (Grito de Mujer) 2016 sob o tema "Flores do Deserto", uma homenagem à iraniana Soraya Manutchehri vítima de lapidação, também como todas as vítimas de métodos ancestrais, tais como a ablação, ataques com ácido, os crimes de honra, entre outras práticas. Os eventos serão implementados em mais de 30 países em todo o mês de março de 1 a 31. A abertura do festival será realizado na cidade de Madrid, que será pela primeira vez sede principal, em uma série de eventos nos dias 2, 4, 5, 6, 10 12 e 16 de Março de 2016. A 6ª. Festival Grito de Mulher vai incluir exposições, concertos, teatro, música, dança, e outras apresentações, com a participação de poetas e artistas em cadeia de solidariedade para causa de não-violência contra as mulheres. Eventos do festival são gratuitos e abertos ao público.

Entre os países participantes para este 2016 estão: República Dominicana, Porto Rico, Espanha (SEDE 2016), Argentina, México, EUA, Venezuela, Nicarágua, Panamá, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Chile, Peru, Bolívia, Portugal, Canadá, França, Haiti, Grécia, Marrocos, Itália, Austrália, Rússia, Suíça, Nigéria, África do Sul, Gana, Tanzânia, Índia, entre outros.

Grito de Mulher contempla desde 2011, uma cadeia simultânea de comprimento com mais de 500 eventos em países em 5 continentes. Nasce e coordenado pela República Dominicana e criado pelo escritora Jael Uribe, a fim de prestar homenagem à mulher durante todo o mês de março, e-estima, respeito e zero tolerância contra a violência.

Através de Grito de Mulher, o Movimento Mulheres Poetas Internacional motiva seus seguidores, amigos e colegas para se juntar e apoiar eventos do festival Grito de Mulher de seus vários locais. Você pode acessar o calendário geral do festival e conhecer os países e cidades participantes à Grito de Mulher: “Flores doDeserto”, visitando www.gritodemujer.com

Grito de Mulher 2016: Chamada para coordenadores

A convocatoria para coordinadores está cerrada. Obrigados.
 
Foi um enorme passo, a recente criminalização da mutilação genital feminina. A prática estabelecida no tempo graças a muitas batalhas, inicia neste momento uma nova etapa em direção à sua total abolição. Muitas outras formas milenares de maus tratos contra a mulher ainda seguem nos mantendo no escuro,  maculando com crenças desumanas e fanatismo,  a liberdade de atuação das mulheres em muitos países do mundo. É por isso que o Festival Internacional de Poesia e Arte Grito de Mulher 2016 em sua sexta edição, será uma súplica, uma oração, para a eliminação destas práticas absurdas. 
Grito de Mulher 2016 vai levar o tema "Flores do Deserto"  dedicado especialmente  às muitas mulheres que representam a realidade horrível e injusta destas atrocidades do século 21 e para representa-lo, tomou  um dos seus rostos: o Irã , Soraya Manutchehri.  Uma mulher assassinada por apedrejamento em 15 de agosto de 1986 por ser uma "inconveniente esposa." Foi julgada  e culpada por falso adultério, com o apoio dos homens poderosos de seu povo, para que seu marido pudesse se casar com uma mulher mais jovem. Soraya, foi desprezada por sua família. Tanto seu pai, seu marido e seus filhos foram instados a lançar a primeira pedra no túmulo de areia, onde mais tarde ela encontrou a morte. Sua história levou ao filme "O apedrejamento de Soraya M." (O apedrejamento de Soraya M.), com base em fatos.

Mulheres Poetas International (MPI) Inc. na  República Dominicana, encarregado de dirigir as atividades do festival Grito de Mulher em todo o mundo,  convida a todos os indivíduos, instituições e / ou grupos colaborativos, incluindo poetas e artistas, a participar como coordenadores do evento a esta causa altruísta, a fim de aumentar a consciência em nome das pessoas que , ainda no século 21, vivem  sob os piores abusos.

Os interessados ​​em participar como coordenadores na cadeia global de Grito de Mulher 2016: Flores do Deserto, deve aplicar as regras atualizadas de participação na página www.gritodemujer.com  e reiterar seu compromisso com a finalidade responsável e altruísta que o grito é para muitas mulheres no todo mundo.

Por parte da história de Soraya Manutchehri, nós convidamos você a visitar a página http://es.wikipedia.org/wiki/Soraya_Manutchehri  e o filme de sua vida está disponível em https://youtu.be/3YQTorYEZKE

Portugal- 5º Festival Internacional de Poesia Grito de Mulher 2015

  • Portugal

(Lisboa)


(Coordinadores Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora


Data: 21 a 24 de Março 2015



CONVITE - 5º Festival Internacional de Poesia Grito de Mulher 2015


PROGRAMA

21 de Março



13h00 Recepção dos Convidados

13h15 Discurso de boas-vindas do Festival por Delmar Maia Gonçalves

13h30 Breve intervenção de Alberto Araújo


NAVEGANDO POR PERCURSOS FEMININOS

13H45 Carla Fernandes – “Representações da Mulher Negra nos média”

14h05 Fernanda Angius – “Novas vozes femininas na Literatura Moçambicana”

14h25 Delmar Maia Gonçalves – “Reflectindo sobre o livro Madalena - o casamento tradicional sem amor de Hosten Yassine Ali”

14h45 Debate

15h15 POESIA SOBRE A MULHER I (Delmar Maia Gonçalves, Jorge Viegas)

15h30 PAUSA

15H45 Momento Musical, Dança Oriental com Susana Amira

16h00 POESIA NO FEMININO I ( Fátima Soares, Mira Soares, Gisela Torquato Cosme)

16h30 POESIA NO FEMININO II (Maria do Sameiro Barroso, Filipa Vera Jardim, Vera Novo Fornelos)

17h00 POESIA NO FEMININO III (Inês Leitão, Liliana Lima, Maria Oliveira)

17h30 Encerramento



22 de Março


13h00 Recepção dos convidados

13h15 POESIA SOBRE A MULHER II ( Alfredo de Sousa Pereira, Ribeiro-Canotilho)

13h30 POESIA NO FEMININO IV (Ana Dias, Sibila Aguiar, Lourdes Peliz)
14h00 POESIA NO FEMININO V ( Licínia Girão, Rosa Vaz, Margarida Tavares, Ester de Sousa e Sá_)

14h30 POESIA NO FEMININO VI (Goretti Pina, Marcella Reis, Luísa Demétrio Raposo, Elisandra Tavares

15h00 POESIA NO FEMININO VII ( Conceição Oliveira, Madalena Mendes, Mónica Castelo, Branca Clara da Neves)

15H30 PAUSA

15h45 MOMENTO MUSICAL (Nery Ribeiro)

16h00 LANÇAMENTO Revista Cultural Licungo nº3


17h00 LANÇAMENTO DE LIVRO “Ian Amos Komenský (Coménio)” de Delmar Domingos de Carvalho

17h30 Encerramento


23 e 24 de Março


18h00 – 22h00 Casa Internacional de São Tomé e Príncipe, Workshop integrado no 5º Festival Internacional de Poesia Grito de Mulher

“Desenvolvimento e prática de uma vida espiritual saudável” (Isis Dias Vieira)


Grito de Mulher celebra 5 aniversário!

O Festival Internacional de Poesia Grito de Mulher comemora seu quinto aniversário no próximo março de 2015 e queremos fazer uma homenagem especial a um grupo de heroínas iniciadores desta missão social aqui assumimos com respeito e coragem desde 2011.

Grito de Mulher tem sido um padrão para as vozes de centenas de poetas e artistas de diferentes países, para aumentar a conscientização e unidade na luta global contra a violência, usando nossas melhores ferramentas: as palavras.

Historicamente, a luta das mulheres contra a violência, começando com o terrível assassinato das irmãs Mirabal, (Borboletas), Patria, Minerva e Maria Teresa, na República Dominicana 25 nov 1960 ordenadas pelo ditador Rafael Leonidas Trujillo. O assassinato abalou a consciência internacional. Ativistas marcado 25 de novembro como o Dia de Combate e para sensibilizar Contra a Violência de Mulheres.

Não há causalidade na República Dominicana nasceu no Festival Internacional de Poesia Grito de Mulher, para difundir a herança cultural destas e de outras heroínas do mundo.

Grito de Mulher em 2015 vai adotar o tema "Mulheres da Luz", como uma homenagem às irmãs Mirabal. Aplicar e fazer parte desta bela causa!

Esperamos poder contar com o vosso apoio.



Mulheres Poetas Internacionais
República Dominicana